Arquivo do Autor

Missão (quase) Impossivel.

12/06/2011

Que a Heineken é uma das melhores cervejas do tipo Larger para se beber não é segredo para ninguém; seja em  latinha, long neck, garrafa de 600 ml ou a grande estrela da campanha, o Barril de 5 litros. Agora um segredo para muitos(senão para todos) é tentar reaproveitar este monte de aço.

Não, não estou falando em fazê-lo virar vaso de flor ou porta objetos, mas sim de encher o recipiente com o líquido precioso novamente.

Eu nunca consegui, mas  o sujeito do vídeo deu um jeito…

Depois de ver e rever o vídeo,  a dica Drunkbird é:

Acabou o seu barril de Heineken? Pare de ser mão de vaca e compre outro rapaz!

Anúncios

Eita velhinho arretado, sô…

29/05/2011

Hoje o assunto é sobre uma bebida clássica! Grey Goose? Blue Label? Não, nada disso. Estou falando dele, o nosso camarada, o Velho Barreiro.

O churras tá meio caído, a turma tá devagar , ninguém dançando? Pode ter certeza que está faltando o “Véio” na festa. Ele anima todo mundo, afinal são 39% de puro teor alcoólico: um belo cruzado no queixo; Mas esta não é a única qualidade (ou problema?) do senhor que nem é tão velho assim. Fundado nos anos 60, e adquirido pela empresa Tatuzinho em 1975, se tornou uma das cachaças mais bebidas no território nacional.

O Velho Barreiro até hoje conquista e derruba vários fãs por onde passa, e já tem  sua versão Gold e Premium, além da caipirinha e batida de maracujá. Enfim, tem pra tudo o que é gosto!

Servido em botecos ou restaurantes, churrasquinho depois do futebol ou festas de casamentos, o Velho Barreiro  sempre estará  presente em nossos momentos de constrangimento, causando frisson na galera.

Dica Drunkbird: abuse do Veio, mas não espere uma manhã muito agradável no dia seguinte

Whisky? Opa, só um minutinho…

10/05/2011

Você já foi convidado para beber um bom whisky, mas chegando no local da degustação viu que o rótulo estava escrito errado, ou que tinha algum objeto não identificado boiando dentro da garrafa?

Há vários cachaceiros entendidos do assunto que desenvolveram métodos próprios para descobrir se aquele Black Label que saiu tão baratinho foi, de fato, feito pela Johnnie Walker. As técnicas variam de bater na garrafa e observar se as bolhas aparecem ou não, a olhar o lacre a 180°e identificar a marca d’água no canto inferior direito, próximo ao numero de série, blá blá blá…

Enfim, seus problemas acabaram, chegou o Rotgutonix! ” Ahn? Chegou o quê? ” Calma, vou explicar!

Desenvolvido pelo espanhol Emilio Alarcón, o Rotgutonix é um detector digital para testar se aquele J&B empoeirado do Boteco do Zé é falseta ou não. É fácil e prático.

Retire seu dispositivo digital de originalidade alcoólica do bolso e meta no copo (não aconselhável o uso no meio de um bar lotado). Espere alguns segundos e ele indica no visor o nome do whisky e a porcentagem de originalidade dele. Fantástico, não?

Agora você pode saber se está consumindo um produto original ou “Made in Paraguay”

Não que “apenas” isso vá mudar sua decisão de encher a cara, não é? Mas é bom saber.

A Cerveja que te deixa em PÉ

22/04/2011

Nos últimos dias o assunto mais comentado no mundo inteiro é o casamento real do  príncipe William com Kate Middleton, que será realizado no dia 29 de abril,e será visto por mais de 2 bilhões de pessoas.

Você deve estar se perguntando o porquê desta notícia no nosso blog de cachaceiros, e o motivo é a inusitada “breja” que a cervejaria escocesa Brewdog criou especialmente para o pupilo de Charlie e Diana, que contém Viagra! Isso mesmo, o remédiozinho milagroso dos Deuses está na composição da cerveja que se chama Royal Virility Performance (algo como Performance da Virilidade Real)

A Royal Virility Performance é vendida na internet direto pelo site da empresa e se você quiser levantar o falecido beber a exótica cerveja ela custa 10 libras a garrafa, mas corra pois há somente 1.000 unidades disponíveis, e dizem as más línguas que há uma carga grande indo para o palácio de  Buckingham!

Depois da bonança…

04/04/2011

Um salve a todos os little birds! Neste meu post de estreia, iremos abordar um tema certamente chato, doloroso, angustiante e motivo de tantas promessas mal resolvidas:

A famosa RESSACA.

Alguns se dizem auto-imunes a ela, mas contra fatos não há argumentos (como já dizia um jovem filósofo): Exagere na bebedeira e a ressaca vai vir te “assombrar”!
Os sintomas mais comuns desse “presente” pós-noitada são: dor de cabeça, fadiga e principalmente uma cruel desidratação. A gravidade da indisposição vareia varia de bebum para bebum, no entanto, quanto mais bebida alcoólica for consumida, mais raivoso  será o resultado no dia seguinte.
Os inexperientes no esporte “vira-copos” tem mais facilidade de acordar com uma baita ressaca, comparada aos mais experientes no ramo, já que estes obtiveram maior tolerância ao álcool em suas aventuras épicas em churrascos, baladinhas, barzinhos entre outros antros de curtição

Quando você toma aquele copo suado de cerveja no domingo à tarde, (antes do ínicio daquele jogão de bola), você pode não saber, mas as moléculas do etanol caem automaticamente na sua corrente sanguínea através da mucosa da boca. A partir daí elas são transportadas para todos os tecidos que contém água, incluindo órgãos vitais como o coração, rim e o cérebro.
Sabe aquela vontade insuportável de ir tanto ao banheiro (ou qualquer lugar que sirva como tal)  urinar quando se está bebendo? A explicação para isso é que o etanol age numa tal  hipófise, que é uma glândula localizada em nosso cérebro. Lá, o composto alcóolico inibe a produção do hormônio que  é responsável em controlar a absorção de água nos rins. A partir daí, toda a cerveja, vodka, whisky, ST Remy (é, tem gosto pra tudo) entre tantos outros que você acabou de ingerir acaba sendo mal absorvido pelo rim, tendo que ser expelido rapidamente pelo corpo, evitando um colapso maior.
Tudo isso tem relação direta com a ressaca, já que junto com o liquido que você acabou de eliminar, também estão saindo do seu corpo minerais como magnésio e potássio, importantíssimos para o funcionamento dos nervos e músculos do nosso  corpo. Quando os níveis destes minerais se tornam muito baixos, começam as terríveis dores de cabeça, cansaço e náuseas, além do mal funcionamento do restante das células

Afinal de contas, como curar esse mal que emana sobre nossas manhãs posteriores à bebedeira? Especulam-se várias receitas milagrosas, como torrada queimada, café preto, o famoso engov, etc, mas o que de fato ajuda a combater a “criminosa” é : Muita água, sucos, frutas  e principalmente o relógio, já que só o tempo vai fazer com que seu organismo consiga limpar todas as toxinas que você mesmo ingeriu, disfarçadas de caipirinha, daiquiri, cuba libre, sombrerito, capetinha…

Pra finalizar, a dica “Made in DrunkBird” para você é baseada em um velho ditado,  comprovadamente eficaz, graças aos experts da área: “Evite a ressaca, mantenha-se bêbado”.

 


%d blogueiros gostam disto: