Depois da bonança…

by

Um salve a todos os little birds! Neste meu post de estreia, iremos abordar um tema certamente chato, doloroso, angustiante e motivo de tantas promessas mal resolvidas:

A famosa RESSACA.

Alguns se dizem auto-imunes a ela, mas contra fatos não há argumentos (como já dizia um jovem filósofo): Exagere na bebedeira e a ressaca vai vir te “assombrar”!
Os sintomas mais comuns desse “presente” pós-noitada são: dor de cabeça, fadiga e principalmente uma cruel desidratação. A gravidade da indisposição vareia varia de bebum para bebum, no entanto, quanto mais bebida alcoólica for consumida, mais raivoso  será o resultado no dia seguinte.
Os inexperientes no esporte “vira-copos” tem mais facilidade de acordar com uma baita ressaca, comparada aos mais experientes no ramo, já que estes obtiveram maior tolerância ao álcool em suas aventuras épicas em churrascos, baladinhas, barzinhos entre outros antros de curtição

Quando você toma aquele copo suado de cerveja no domingo à tarde, (antes do ínicio daquele jogão de bola), você pode não saber, mas as moléculas do etanol caem automaticamente na sua corrente sanguínea através da mucosa da boca. A partir daí elas são transportadas para todos os tecidos que contém água, incluindo órgãos vitais como o coração, rim e o cérebro.
Sabe aquela vontade insuportável de ir tanto ao banheiro (ou qualquer lugar que sirva como tal)  urinar quando se está bebendo? A explicação para isso é que o etanol age numa tal  hipófise, que é uma glândula localizada em nosso cérebro. Lá, o composto alcóolico inibe a produção do hormônio que  é responsável em controlar a absorção de água nos rins. A partir daí, toda a cerveja, vodka, whisky, ST Remy (é, tem gosto pra tudo) entre tantos outros que você acabou de ingerir acaba sendo mal absorvido pelo rim, tendo que ser expelido rapidamente pelo corpo, evitando um colapso maior.
Tudo isso tem relação direta com a ressaca, já que junto com o liquido que você acabou de eliminar, também estão saindo do seu corpo minerais como magnésio e potássio, importantíssimos para o funcionamento dos nervos e músculos do nosso  corpo. Quando os níveis destes minerais se tornam muito baixos, começam as terríveis dores de cabeça, cansaço e náuseas, além do mal funcionamento do restante das células

Afinal de contas, como curar esse mal que emana sobre nossas manhãs posteriores à bebedeira? Especulam-se várias receitas milagrosas, como torrada queimada, café preto, o famoso engov, etc, mas o que de fato ajuda a combater a “criminosa” é : Muita água, sucos, frutas  e principalmente o relógio, já que só o tempo vai fazer com que seu organismo consiga limpar todas as toxinas que você mesmo ingeriu, disfarçadas de caipirinha, daiquiri, cuba libre, sombrerito, capetinha…

Pra finalizar, a dica “Made in DrunkBird” para você é baseada em um velho ditado,  comprovadamente eficaz, graças aos experts da área: “Evite a ressaca, mantenha-se bêbado”.

 

Anúncios

Uma resposta to “Depois da bonança…”

  1. Gil Says:

    Hahaha, voce conhece bem esses sintomas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: