Quanto maior o calor, menor o preço da cerveja

13/06/2011 by

O verão está chegando no hemisfério norte e a Budweiser, em um ótimo exemplo de aplicação mobile integrada com varejo, desenvolveu um aplicativo em parceria com a agência Brand Utility que dá descontos na cerveja de acordo com a temperatura. Resumindo: quanto mais calor, menos você paga.

 

O aplicativo Budweiser Ice Cold Index, disponível para iPhone, BlackBerry e Android, utiliza geolocalização e mostra os bares participantes da promoção, que funciona da seguinte maneira: a temperatura é informada sempre às 13h. 16º equivale a 1 euro de desconto e 2 euros se estiver 18º. Para a cerveja sair de graça é necessário que a temperatura esteja acima dos 20º. Isso, para nós, está bem longe de um verão, mas levando em consideração que estamos falando da Irlanda… O calor é brabo para eles.

Bem que alguma marca brasileira podia lançar uma campanha dessas, né? #fikdik

 

Vídeo da campanha criado pela DDB UK:

 

Anúncios

Missão (quase) Impossivel.

12/06/2011 by

Que a Heineken é uma das melhores cervejas do tipo Larger para se beber não é segredo para ninguém; seja em  latinha, long neck, garrafa de 600 ml ou a grande estrela da campanha, o Barril de 5 litros. Agora um segredo para muitos(senão para todos) é tentar reaproveitar este monte de aço.

Não, não estou falando em fazê-lo virar vaso de flor ou porta objetos, mas sim de encher o recipiente com o líquido precioso novamente.

Eu nunca consegui, mas  o sujeito do vídeo deu um jeito…

Depois de ver e rever o vídeo,  a dica Drunkbird é:

Acabou o seu barril de Heineken? Pare de ser mão de vaca e compre outro rapaz!

Cerveja de Mulherzinha

05/06/2011 by

Cerveja é mesmo bebida de macho?

Eu, como única representante do sexo feminino nesse blog, me sinto na obrigação de dizer que isso é “cunversa”.

Mas esse papo de bebida máscula deve ter um fundamento, não? É que a maioria das mulheres gostam de um sabor mais doce, como o vinho. E para essas (as menininhas frescas, tipo a Sandy, que não sabem apreciar uma boa cerveja) eu indico a Kriek Boon.

Pra quem não sabe existem as cervejas Ales (de alta fermentação) e as Lagers (de baixa fermentação). Porém, a Kriek Boon entra em uma terceira categoria, que são as cervejas de fermentação espontânea, ou seja, não recebem adição de fermento no processo de fabricação. Mais uma particularidade a torna especial: cada litro de cerveja recebe pelo menos 250g gramas de cereja. É, a fruta mesmo, adicionada inteira via maceração, resultando em uma cerveja de paladar ácido-doce, com uma bela espuma e baixa graduação alcoólica (4%).

Pra quem já torceu o nariz pra Kriek Boon por conta das várias “frescurinhas” é bom ter em mente que é uma cerveja para se beber em ocasiões especiais e não em um happy hour ou na frente da TV assistindo a um jogo de futebol. Seu preço camarada serve de exemplo, uma garrafa sai em torno de R$30,00.

Curiosidade: a Kriek Boon ganhou medalha de ouro do Monde Selection, instituto independente localizado em Bruxelas que atesta a qualidade de produtos de consumo. Mas, na real, eu ouvi dizer que legal mesmo é ficar arrotando Halls de cereja o resto do dia.

A dica está dada. E se for beber uma bela cerveja, me ligue.

Outback: Comida australiana

03/06/2011 by

Um verdadeiro desfrute vindo da terra dos cangurús…

O prato mais famoso do Outback,  Ribs on the Barbie, chega a ser uma “verdadeira ignorância”.

Saborosas e fartas, as “Costelinhas” de porco (que mais parecem uma costela de brontossauro digna de Os Flinstones) com um molho levemente doce acompanhadas de batatas fritas e maçã com canela valem cada um dos R$ 35,50 que custam.

O chopp então, “é brincadeira!” .

Acompanhe qualquer prato com chopp, que praticamente congela na caneca tamanho família.

A dica no Outback é: quase tudo serve duas pessoas. Peça um prato só, e se depois ainda tiver fome, peça outro.

A dica do Drunkbird é: Não se assuste com os garçons que mais parecem guardas municipais querendo te dar alguma multa.

“Plus” Energy Drink

03/06/2011 by

Uma garrafa PET de 2l só com “energético” ? AH TÁ.

Isso me lembrou de áureas épocas de carnaval em que eu comprava vinho Chapinha só para ficar muito bêbado gastando pouco dinheiro. Não vejo outra função para o Plus que não seja misturar com a vodka ou com o uisque mais vagabundos possíveis e produzir muitos bêbados pela noite. O gosto é simplesmente fraco, mas pode ser que melhore bastante case você coloque uma dose de Old Eight. (Sacou o nível?)

  • Uma verdadeira pérola dos mercadinhos de bairro.
  • A embalagem engana bem, mas não adianta querer economizar. Gastar pouco achando que tá fazendo bom negócio só faz o bebum do fds tomar ‘ na oreia’. Pra sua segurança arrisque o Burn, RedBull ou até um Flying Horse
  • Apesar de tudo nunca sobra uma gota na garrafa desse maldito Plus (Deve ser graças a vodka que consegue ser mais vagabunda que ele.)

Eita velhinho arretado, sô…

29/05/2011 by

Hoje o assunto é sobre uma bebida clássica! Grey Goose? Blue Label? Não, nada disso. Estou falando dele, o nosso camarada, o Velho Barreiro.

O churras tá meio caído, a turma tá devagar , ninguém dançando? Pode ter certeza que está faltando o “Véio” na festa. Ele anima todo mundo, afinal são 39% de puro teor alcoólico: um belo cruzado no queixo; Mas esta não é a única qualidade (ou problema?) do senhor que nem é tão velho assim. Fundado nos anos 60, e adquirido pela empresa Tatuzinho em 1975, se tornou uma das cachaças mais bebidas no território nacional.

O Velho Barreiro até hoje conquista e derruba vários fãs por onde passa, e já tem  sua versão Gold e Premium, além da caipirinha e batida de maracujá. Enfim, tem pra tudo o que é gosto!

Servido em botecos ou restaurantes, churrasquinho depois do futebol ou festas de casamentos, o Velho Barreiro  sempre estará  presente em nossos momentos de constrangimento, causando frisson na galera.

Dica Drunkbird: abuse do Veio, mas não espere uma manhã muito agradável no dia seguinte

Faço amigos porque bebo …

22/05/2011 by

Segundo um estudo publicado pelo American Journal of Men’s Health, o ato de beber ajuda a fazer amigos… pelo menos no Facebook.

Bebidas alcóolicas

Jovens que publicam fotos de bebidas ou dizem estar bebendo possuem mais contatos na rede social do que aqueles que não o fazem.

“Nossa hipótese é a de que, como o álcool entre os estudantes universitários é um fator de aceitação social, poderia haver uma correlação direta no mundo das redes sociais”, afirmou Katie Egan, uma das pesquisadoras do estudo.

Ainda segundo o artigo, as referências ao álcool estavam presentes em 85% dos perfis. O estudo analisou as contas de 225 universitários com idade média de 19 anos.

Em média, cada pessoa citava bebidas 8,5 vezes, seja por meio de fotos ou mensagens de texto. Nos perfis de estudantes com idade legal para beber (21 anos nos Estados Unidos), o índice é 4,5 vezes maior em relação aos menores.

O estudo concluiu ainda que, quanto maior o número de referências feitas à bebida, mais amigos tem a pessoa. A publicação de fotos de festas, baladas e comemorações é uma das práticas mais comuns entre os usuários do Facebook.

Bom, falando por mim, baseado na opinião do mestre Gil Brother Away de Petrópolis, galera que fica na frescuragem do “leite com pêra” vai precisar suar a camisa pra conseguir virar notícia nas redes sociais, portanto… caros leitores: vamos entrar de vez pro mundo dos goles e curtir a vida…

Mark Zuckerberg Drunk

Até a próxima.

As bebidas na ficção

17/05/2011 by

Quem nunca teve vontade de tomar uma Dinamite PanGalática do Mochileiro das Galáxias? Ou sempre quis ver nas prateleiras do supermercado a cerveja amanteigada do Harry Potter?

Hoje vamos falar de algumas das bebidas mais conhecidas da ficção e que podem até ser encontradas na vida real.

1.Dinamite Pangalática

Ou, originalmente, Pan-Galatic Gargle Baster. Um drink inventado pelo presidente do universo Zaphod Bebblebrox, do Guia do Mochileiro das Galáxias e é considerada “a melhor do universo”. O criador diz que bebê-la é “como ter seu cérebro esmagado por uma fatia de limão colocada em volta de uma grande barra de ouro”. E jamais se esqueça: nunca beba mais de duas Dinamites PanGaláticas, a não ser que você seja um mega elefante de trinta toneladas com pneumonia. Oi?

2.Duff Beer

A clááááásica Duff Beer, cerveja preferida do Homer Simpson em Os Simpsons. Uma verdadeira paródia comercial: preço moderado, baixa qualidade e publicidade em toda parte.

Um mexicano chamado Rodrigo Contreras teve a idéia de criar a cerveja Duff de verdade. Em 2006 ele começou o processo de registro da marca, em 2007 lançou na Europa e hoje, já tem registrado em 65 países como um produto real: a cerveja Duff. Aos fãs de Os Simpsons é a melhor maneira de se embebedar ao estilo Homer. Dãp!

3.Cerveja Amanteigada

Essa cerveja começa a aparecer no 3º livro e filme da série Harry Potter. Vendida nos comércios de Hogsmeade ou no Beco Diagonal e servida também no bar Três Vassouras, é a preferida do bruxo e seus amigos. O livro diz que a bebida quente causa um aquecimento excessivo e rola até um boato de que uma elfo doméstica chamada Winky já tenha se embriagado com a “tar” da cerveja amanteigada.

É possível comprar a cerveja amanteigada no Mundo Mágico de Harry Potter, na Universal Studios, Flórida. Mas, para a tristeza de todos, é em uma versão sem álcool.

4.Romulan Ale

Bebida altamente intoxicante de origem romulana, aparece em Star Trek. Essa bebida parece ser um desafio até para os klingons, que se dizem resistentes aos efeitos do álcool.

Existe uma versão real da Romulan Age, a Romulan Age Energy Drink. Possui o mesmo aspecto com a cor azul, mas diferente da série, e para nossa sorte, essa não intoxica ninguém. Além da cafeína tradicionalmente presente em bebidas energéticas, ainda possui vitaminas B6 e B12 e podem ser encontrados fardos com 6 latas a venda na ThinkGeek por US$14,99.

Caso se lembrem de mais alguma bebida do mundo da ficção deixem como comentário para curiosidade de nossos leitores e da equipe Drunk Bird.

Whisky? Opa, só um minutinho…

10/05/2011 by

Você já foi convidado para beber um bom whisky, mas chegando no local da degustação viu que o rótulo estava escrito errado, ou que tinha algum objeto não identificado boiando dentro da garrafa?

Há vários cachaceiros entendidos do assunto que desenvolveram métodos próprios para descobrir se aquele Black Label que saiu tão baratinho foi, de fato, feito pela Johnnie Walker. As técnicas variam de bater na garrafa e observar se as bolhas aparecem ou não, a olhar o lacre a 180°e identificar a marca d’água no canto inferior direito, próximo ao numero de série, blá blá blá…

Enfim, seus problemas acabaram, chegou o Rotgutonix! ” Ahn? Chegou o quê? ” Calma, vou explicar!

Desenvolvido pelo espanhol Emilio Alarcón, o Rotgutonix é um detector digital para testar se aquele J&B empoeirado do Boteco do Zé é falseta ou não. É fácil e prático.

Retire seu dispositivo digital de originalidade alcoólica do bolso e meta no copo (não aconselhável o uso no meio de um bar lotado). Espere alguns segundos e ele indica no visor o nome do whisky e a porcentagem de originalidade dele. Fantástico, não?

Agora você pode saber se está consumindo um produto original ou “Made in Paraguay”

Não que “apenas” isso vá mudar sua decisão de encher a cara, não é? Mas é bom saber.

Drink do Osama.

02/05/2011 by

Já que o assunto mais comentado da semana com certeza vai ser  a morte do Nº 1 da Al Qaeda, o DrunkBird dedica esse post exclusivamente ao Rei do pique-esconde Osama Bin Laden… Não, não estou fazendo apologia ao terrorismo, apenas informando que há alguns anos os próprios americanos criaram uma bebida chamada ‘Bin Laden Drink’

Não conseguiam prender o maldito, resolveram ‘beber’ ele… e olha que a receita é pra lá de explosiva, arriscando a dizer que isso serve até como Coquetel  Molotov …

A seguir você confere a composição desta “bomba” pro fígado na moda mais capitalista possível, fazendo o vovô do turbante se remoer nas profundezas do oceano.

(Recomendado pra quem quer causar polêmica e destruir tudo na balada)

Em um copo de 300 ml, divida as doses a seguir na proporção:

1/3 de Johnnie Walker® Scotch whisky
1/3 de Bundaberg® dark rum
1/3 de Smirnoff® vodka

(O gelo é opcional, mas cabra macho que é cabra macho vai beber isso em uma golada só… e quente!)


Pronto,  a treta tá feita e agora é só segurar o rojão…

E aí, vai correr ou vai encarar?


%d blogueiros gostam disto: